Loading...

quarta-feira, 12 de janeiro de 2011

Mortos chegam a 81 na Região Serrana; Rio pede ajuda à Marinha


RIO - Chega a 71 o número de mortos nos deslizamentos de terra em Teresópolis, na região serrana do Rio. A Defesa Civil do município divulgou o último balanço às 14h30 e mantém cerca de 800 homens nos bairros mais atingidos pela chuva, em busca de corpos e sobreviventes. Com isso, o número de vítimas só na Região Serrana do Rio está em 81. O governo do Estado solicitou à Marinha aeronaves para ajudar no socorro e resgate de moradores das localidades, já que ruas e estradas foram comprometidas com as queda de encostas. Em nota, o governador Sérgio Cabral lamentou a 'perda de vidas nesta tragédia causada pelas chuvas' e manifestou 'solidariedade às famílias'. Segundo o comunicado, os aviões da Marinha vão deslocar material, equipamentos e agentes do Corpo de Bombeiros e Defesa Civil nas cidades atingidas. No exterior, o governador volta ao Rio e visitará a Região Serrana na quinta-feira.

O prefeito de Teresópolis, Jorge Mário Sedlacek, decretou estado de calamidade pública e informou que equipes ainda buscam sobreviventes em diversas áreas do município. Ele alertou que o número de vítimas pode aumentar, pois as equipes de socorro ainda estão chegando aos locais devastados por enxurradas e desmoronamentos.

Sedlacek estima que o número de desabrigados já passa de 1.000 pessoas. 'É a maior catástrofe da história do município', afirmou o prefeito em entrevista ao telejornal RJTV, da TV Globo.

Em Nova Friburgo, ao menos oito pessoas morreram - incluindo quatro bombeiros que ajudavam no resgate de vítimas. Um desmoronamento atingiu uma viatura da corporação e três agentes continuam desaparecidos. O centro está coberto de lama e há ruas alagadas.

Em entrevista à rádio CBN, o coordenador da Defesa Civil da cidade, coronel Roberto Robadey, disse que o volume de chuvas chegou a 260mm em 24 horas - em janeiro de 2010, o volume foi de 180 mm. 'Quem tiver passado a noite em lugar seguro e estiver isolado não deve sair', pediu.

Em Petrópolis, um casal de idosos faleceu em Itaipava. Deslizamentos de terra impedem a passagem em várias localidades de Corrêas, Araras e Vale do Cuiabá. Equipes da Secretaria de Obras já foram mobilizadas para liberar as vias. Alguns deslizamentos de terra também atingiram parcialmente casas dessas regiões.

Equipes de secretarias do governo do Estado foram enviadas a Teresópolis e a outros municípios atingidos pelos temporais. O vice-governador Luiz Fernando Pezão está se dirigindo a Teresópolis para avaliar a situação nos locais destruídos.

Interdições. Três estradas que saem de Teresópolis estão interditadas: a BR-495 foi fechada na altura do quilômetro 24 por causa da queda de mais de 200 toneladas de terra. No sentido de Friburgo, a pista está interditada na altura do quilômetro 88,5, e deve demorar cerca de quatro horas para ter parte da via liberada. Há interdição ainda na BR 116, Teresópolis - Além Paraíba, na altura do bairro de Três Córregos.

Fonte: O Estado - Amauri Levinski TV

Nenhum comentário:

Postar um comentário